17 de dez de 2008

Faxina

Todo final de ano, surge comigo uma vontade de jogar algumas coisas fora , guardar outras e arrumar tantas outras, pra não deixar a poeira tomar conta de tudo.E nada de faxina espititual é material mesmo, aqueles pensamentos que escrevi em papeis quando li algo interessante em uma exposição de artes,algo que vi na rua, em algum dos livros que li esse ano onde sempre fica perdido o número do telefone de alguém que nessa altura já não lembra de quem é, por que não escreveu o nome, ou papel de bala, e ai depois de reler esses papeis você se da conta de que pra esse momento eles não servem de nada, ficam guardados apenas mais uns 2, 3 papeis para o outro ano que vai chegar.No fundo da gaveta e das caixas, restam aquelas lembranças de show's e ainda mais papeis, que com o passar do tempo ficam amarelos, junto com fotografias, sorrisos, dejesos e outras ilusões.E com tanta coisa jogada fora, que antes você não se dava conta de tanto que tinha, reorganiza as gavetas com as lembranças mais gostosas em primeiro lugar, e vai colacando pra baixo as repetidas, como algumas cartas antigas que tenho, que escrevi em férias passadas e nunca enviei.

E o que não presta a gente joga fora.

Nenhum comentário: